Elite da Arbitragem

17/02/2017 às 12:22 | Assessoria CBF

Novatos do quadro FIFA falam da responsabilidade

A elite da arbitragem mundial passou a ter, nesta quinta-feira (16), mais seis brasileiros. Os árbitros Rodolpho Toski, Deborah Correia, Rejane Caetano, Wagner Magalhães, Wagner Reway e o assistente Danilo Simon Manis receberam a insígnia e passaram a integrar o quadro da FIFA. Agora, a responsabilidade por integrarem o seleto grupo ganha novo patamar:

– Com certeza aumenta muito porque entrar no quadro da FIFA é difícil, mas se manter é muito mais. Então está todo mundo de olho, nós temos que minimizar todos os erros possíveis dentro de campo e fazer o melhor trabalho. Isso tudo graças ao trabalho com a comissão de arbitragem e todos os membros envolvidos com o departamento de arbitragem da CBF, que vem nos dando todo esse apoio para o nosso desenvolvimento e crescimento e que, assim, a gente consiga obter o melhor sucesso dentro das competições - afirmou Rodolpho.

Danilo Manis, único assistente entre os novos integrantes, destacou a maior visibilidade que eles terão com insígnia no peito:

– A partir de agora nós nos tornamos ainda mais vitrines. Então vamos estar em jogos importantes, a maioria desses jogos são transmitidos e nós somos referência para aqueles que estão começando e tem o sonho de chegar aqui. Então o escudo ele não só é uma conquista pessoal, mas também um aumento de responsabilidade bastante significativo.

Participando de campeonatos profissionais desde 2005, Wagner Reway relembrou o esforço feito para chegar ao ápice da sua carreira:

– Os passos que damos ao longo da carreira para chegarmos ao nível de árbitro da FIFA são bem longos e devem ser perseguidos com bastante dedicação. Eu acho que a vida do árbitro é justamente isso: dedicação. Por várias vezes a gente acaba tomando um revés, errando um lance ou outro, mas se estiver dedicado com treinamento, com melhoria da qualidade técnica, física e emocional, os passos vão sendo progressivos. E chegar nesse nível é a realização de um sonho. Agora tem outras etapas a serem cumpridas, outros objetivos que vem uma vez que se tem o escudo da FIFA no peito.

Entre as mulheres, Rejane Caetano pontuou a dificuldade de se chegar ao quadro feminino da entidade máxima do futebol:

– É o retorno de um trabalho que eu tenho feito desde 2011 e agora está sendo um momento gratificante, de muita conquista e de muita alegria. Eu represento o meu país no quadro feminino e na parte de árbitra central que é difícil de acontecer. 

Deborah, por sua vez, ressaltou a importância de continuar escrevendo a história da arbitragem feminina:

– A responsabilidade só aumenta. Agora nós fazemos parte da elite do futebol, então a cobrança vai ser cada vez maior. E a tendência é ter cada vez mais aumentar a participação das mulheres. O bom é que a continuidade dessa história vai sendo mantida. Assim as outras que vierem terão o caminho aberto para atuarem como nós tivemos a oportunidade de atuar.

Wagner Magalhães agradeceu a confiança depositada nos novos árbitros FIFA e enfatizou a relevância das atividades realizadas durante o Treinamento para Árbitros de Elite.

– É uma responsabilidade muito grande. Mas eu fico muito feliz com a confiança que a comissão de arbitragem da CBF depositou nos novos árbitros FIFA. A responsabilidade vai ser muito grande. É difícil chegar e é muito mais difícil se manter no quadro da FIFA. Então, vamos procurar fazer o que a comissão pede para estar apto nas próximas escalas. A semana foi muito produtiva. Assistimos a muitos vídeos sobre entradas, faltas temerárias e cartões amarelos e vermelhos. Foi muito interessante porque foi possível, em uma semana, reunir todos os árbitros FIFA para passar o que a comissão quer no campo de jogo e, seguindo essa solicitação deles, faremos um ótimo Campeonato Brasileiro.

Leia mais

Nossos patrocinadores