Internacionalização

11/05/2017 às 15:58 | Assessoria CBF

Tom Greenwood: a expansão da marca Premier League

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

O evento "Somos Futebol: 2ª Semana de Evolução do Futebol Brasileiro" foi retomado na tarde desta quinta-feira (11) com tema "Estratégias para Internacionalização de Marcas" em foco. Com vasta experiência na Premier League, o head de Parcerias e Ativações da liga britânica, Tom Greenwood, introduziu o assunto com uma rica apresentação sobre a expansão da marca do torneio ao redor do mundo.

Tom Greenwood apresentou as principais ações ao longo dos 25 anos de vida que contribuíram para o crescimento e sucesso da Premier League não só internamente como em outros países. Além de destacar a importância de se ter uma liga competitiva e atraente, o especialista exaltou a parceria com a televisão e a divisão das receitas com os clubes.

– Da maneira como a receita é distribuída, todos os clubes podem investir na compra dos melhores jogadores do mundo, investir na estrutura... Outro fator importante é o estadio lotado. Com média de 97% de ocupação por jogo, a atmosfera é incrível. Isso tudo é transmitido pela TV e é visto como algo mágico no mundo inteiro. O futebol britânico é de ritmo rápido, dinâmico e empolgante de se assistir. Uma maneira simplória de abordar isso é a alternância de títulos. Foram quatro campeões diferentes nos últimos anos e isso é saudável.

Entre os principais mercados consumidores da marca, Tom Greenwood citou EUA, China e Índia. O head de Parcerias e Ativações da Premier League também exaltou o impacto do Brasil na audiência da competição. Para criar estratégias personalizadas e localizadas, Tom falou da necessidade de uma pesquisa profunda entender as especificidades de cada país e grupo de fãs.

– É importante investir em pesquisa para entreter nossas plateias e saber aonde focar. Temos quase um 1 bilhão no mundo inteiro. Essa popularidade se reflete no direito sobre mídia no mundo inteiro. Com isso podemos reinvestir nos talentos, mas instalações e a medida que o futebol cresce, tudo cresce junto. É um ciclo vicioso – analisou Tom Greenwood, que complementou:

– Ouvimos muitos torcedores em grupos de estudo. Por causa do fuso horário, a assimilação tem significados diferentes para públicos diferentes. É preciso entender cada grupo de fãs. Na Índia por exemplo, sabemos que é difícil competir com o críquete, mas temos uma inserção muito grande na classe média. No Brasil, a Premier League é o segundo torneio internacional mais assistido, só perde para a Liga Espanhola. Estados unidos, China e Índia são os principais parceiros da Premier League no momento – concluiu. 

 

Leia mais

Nossos patrocinadores