STJD

10/05/2017 às 15:49 | STJD

Ba-Vi: infrações na Copa do Nordeste em pauta

Créditos: CBF

As infrações ocorridas no Ba-Vi, pela Copa do Nordeste, serão julgadas pela Primeira Comissão Disciplinar do STJD do Futebol. Na próxima segunda, dia 15 de maio, o atleta Regis, do Bahia, será julgado por conduta contrária à ética ou disciplina; Patric, do Vitória, por praticar agressão física; o técnico Argel Fucks responderá por ofensa, enquanto os clubes Bahia e Vitória serão julgados por rixa, conflito ou tumulto ocorrido. A sessão está prevista para iniciar às 11h.

Realizado no dia 30 de março, pela Copa do Nordeste, o clássico Ba-Vi foi marcado por infrações disciplinares. Na súmula o árbitro informou o motivo da expulsão dos atletas. Regis recebeu o vermelho aos 16 minutos do segundo tempo por subir as escadas para comemorar um gol com a torcida do Bahia. Como já havia sido advertido com o amarelo anteriormente, o atleta retornou mais cedo para o vestiário. Dois minutos depois foi a vez do Vitória ficar com um atleta a menos. Patric recebeu o segundo amarelo por empurrar de forma temerária e fora da disputa de bola o pescoço do adversário Pablo Armero.

A Procuradoria denunciou Regis por conduta contrária à disciplina (artigo 258 do CBJD) e Patric por agressão física (artigo 254-A do CBJD). Os atletas podem ser punidos com suspensão de até seis partidas e de quatro a 12 partidas, respectivamente.

Ainda a súmula, o árbitro Luiz César de Oliveira Magalhães informou que após o apito final houve “um tumulto generalizado entre atletas e comissão técnica de ambas as equipes , com troca de agressões físicas (socos e pontapés) entre eles”, porém não foi possível identificar os envolvidos.

Com acesso as imagens da partida, a Procuradoria denunciou o técnico Argel Fucks e os clubes. Na denúncia, a Procuradoria destacou aspas de matérias veiculadas: “Descontrolado e muito exaltado, Argel gritou com vários jogadores do Bahia enquanto subia as escadas. O treinador interpelou o presidente do Bahia e, com dedo em riste, bradou com o dirigente. Durante a confusão, o zagueiro Alan Costa tentou sair em defesa de Argel e quase se desentendeu com um policial militar. – Cadê o Edson? O Edson que é machão? Cadê o machão aí? Ode é que está o Edson? Cadê o machão? O Edson? Chama ele – gritou Argel durante a confusão”.

Argel foi denunciado por ofensa (artigo 243-F do CBJD) que prevê suspensão de uma a seis partidas e multa de até R$ 100 mil, enquanto Bahia e Vitória responderão ao artigo 257, §3º do CBJD.

§3º Quando não seja possível identificar todos os contendores, as entidades de prática desportiva cujos atletas, treinadores, membros de comissão técnica, dirigentes ou empregados tenham participado da rixa, conflito ou tumulto serão apenadas com multa de até R$ 20 mil. 

Nossos patrocinadores