STJD

07/03/2017 às 16:04 | STJD

Presidente e CSA punidos

Créditos: Daniela Lameira / Site STJD

O Presidente do CSA, Rafael Tenório, foi punido no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol por declarações após a partida contra o CRB, pela Copa do Nordeste. Enquadrado por desrespeitar a equipe de arbitragem, Tenório recebeu 15 dias de suspensão e o clube Alagoano foi multado em R$ 500 pela ação de seu Presidente. O processo foi julgado na tarde desta terça, dia 7 de março, em sessão da Segunda Comissão Disciplinar.

Dentre as declarações feitas em entrevista após a partida entre CSA e CRB, realizada no dia 5 de fevereiro, Rafael Tenório disparou contra a arbitragem: “Juiz premeditado. Descarado”, “As arbitragens chegam aqui para roubarem (sic) o CSA”, “Ladrão, safado, descarado, roubou...”, “Comportamento dos ladrões dos juízes”, “Fomos roubados descaradamente”.

Com acesso a gravação, a Procuradoria da Justiça Desportiva ofereceu denúncia contra o Presidente e responsabilizou o CSA pela conduta de seu mandatário.

Diante dos Auditores, a defesa do CSA apresentou prova documental com a representação do clube contra o árbitro na CBF, decisões do STJD referente a declarações de presidentes de outros clubes e prova documental com lances da partida.

Com a palavra, a Procuradoria reiterou os termos da denúncia.

Em defesa do CSA, o advogado Felipe de Macedo sustentou. “A Procuradoria fez a denúncia quando teve acesso a Notícia de Infração da ANAF contra o árbitro. Após a partida o CSA protocolou na CBF uma representação contra esse árbitro. O árbitro assumiu a responsabilidade e o clube representou contra ele. Uma semana depois a ANAF, em represália, entra com a Notícia contra o presidente. Vários técnicos e presidentes já foram julgados por declarações parecidas e foram absolvidos neste tribunal. Todos foram denunciados por declarações em coletiva, mas o presidente do CSA foi na beira do campo. Não deixaram ele sair para o vestiário. Rafael fez críticas da arbitragem de um modo geral. Não objetiva a reclamação e o desrespeito. Não citou nomes. No mesmo momento ele reclama da polícia, do gandula e em estado de cólera diz até que vai renunciar”, concluiu.

Apesar do pedido da defesa, o relator do processo Auditor Felipe Diego votou para punir os denunciados e justificou. “Não cabe esse tipo de comportamento na seara desportiva. Voto pela suspensão pelo prazo de 15 dias ao Presidente e multa de R$ 500 ao CSA”.

O voto do relator foi acompanhado pela Auditora Sônia Frúgoli, enquanto o Auditor Marcelo Vieira divergiu para a absolver ambos os denunciados. Proferida em primeira instância a decisão cabe recurso.

Nossos patrocinadores