Brasileirão 2018: clubes tomam decisões na CBF

20 participantes do Brasileirão marcaram presença na reunião, realizada nesta segunda-feira (5), no Rio de Janeiro

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Reunião de conselho técnico da Série A 2018

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Os 20 clubes participantes do Brasileirão 2018 marcaram presença no Conselho Técnico da Série A, realizado nesta segunda-feira (5), na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Os representantes aprovaram a tabela básica apresentada pela Diretoria de Competições e tomaram outras decisões relativas ao campeonato.

Entre os temas colocados em votação, está o uso do gramado sintético, que foi liberado desde que seja adequado aos parâmetros determinados pela FIFA. O uso do árbitro de vídeo também foi abordado e os clubes decidiram que não será aplicado no Brasileirão 2018.

– Algumas questões foram revistas em relação ao ano passado, como a grama sintética, os mandos de campo. Sobre o árbitro de vídeo, a opção dos clubes foi por não fazer no Campeonato Brasileiro. Essa postura de diálogo está consolidada. Todas as decisões sobre a competição foram tomadas pelo coletivo – afirmou o secretário-geral da CBF, Walter Feldman.

No encontro, a CBF informou aos clubes que o recurso tecnológico de auxílio à arbitragem será colocado em prática nas fases mais avançadas da Copa do Brasil, previstas para o segundo semestre de 2018.

– A CBF arcará integralmente com este investimento, prestigiando e testando o projeto pioneiro de árbitro de vídeo desenvolvido pelos profissioanis da CBF, que está entre os melhores do mundo. É preciso parabenizar os clubes pela participação no conselho e destacar o ambiente democrático em que ocorreram os debates importantes para o futuro do futebol brasileiro – ressaltou o Diretor Executivo de Gestão da CBF, Rogério Caboclo.

A disputa de jogos em estados diferentes da sede do mandante está aprovada, com limite de cinco partidas durante todo o campeonato. Essa possibilidade está vetada nas cinco últimas rodadas da competição. Para ser concretizada, a mudança precisa da concordância do time visitante e das federações envolvidas.

– O Conselho Técnico da CBF permite que a gente tome decisões operacionais sobre o campeonato e nada mais justo do que ouvir os participantes da competição – destacou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello.

Outra novidade é a pré-escala obrigatória. Todos os clubes deverão inserir, com antecedência, a escalação completa no sistema da Diretoria de Registro, Transferência e Licenciamento da CBF. O espaço estará disponível 24h antes de a bola rolar. Essa iniciativa busca a antecipação de informações e a prevenção quanto ao uso de jogadores em condições irregulares.

– Todos os representantes debateram, conversaram e decidiram juntos. Essas oportunidades são, extremamente, produtivas. Precisamos incentivar os encontros dos clubes na CBF – concluiu o vice-presidente do Atlético Mineiro, Lásaro Cândido da Cunha.

PATROCINADORES